PerfectGO Cork              PerfectGO Logo

um bom vinho merece a rolha perfeita
 
A tecnologia PerfectGO permite realizar análise unitária às rolhas de cortiça, criando lotes 100% sem TCA*.

Este processo automatizado é uma inovação na indústria rolheira e o início de uma revolução:
a eliminação total do “sabor a rolha” das rolhas de cortiça.

Aliando a tecnologia PerfectGO com as qualidades irrepreensíveis da rolha de cortiça natural, garantimos que o ritual do vinho é
SEMPRE uma experiência perfeita.

*teor de TCA libertável inferior ao limite de quantificação de 0,5 ng/l;
análise realizada de acordo com a norma ISO 20752.

Rolhas de Cortiça

A cortiça é um tecido vegetal natural proveniente da casca do sobreiro (Quercus suber, árvore que pode viver de 150 a 200 anos) constituída por um agrupamento de pequenas células estanques na forma, estrutura e disposição muito próprias.

Todas as propriedades físicas da cortiça têm por base direta ou indireta a sua estrutura celular única: ligeireza, grande elasticidade, grande resistência mecânica e excelente impermeabilidade (aos líquidos e aos gazes). 

A cortiça, produto natural e renovável, é então transformada, dando origem a numerosos produtos muito úteis em domínios variados que vão do Artesanato à Engenharia Aerospacial.

O grupo Lafitte especializou-se na produção de rolhas de cortiça: decidimos dedicar toda a nossa energia e know-how para obter o melhor desse material natural único.

TEMPO, é aquilo de que a cortiça precisa para crescer.

O primeiro descortiçamento, chamado primeira tiradia, acontece após 20 a 30 anos. Consiste numa cortiça natural única chamada "cortiça virgem" com 5 a 6 cm de espessura, que é dura e com muitas fissuras.

Esta cortiça, pouco elástica, não poderá ser utilizada no fabrico de rolhas.

Quando se despe o sobreiro da sua "cortiça virgem", forma-se, durante um período de 9 a 12 anos, uma cortiça com algumas fissuras chamada cortiça de reprodução ou secundeira.

Após 30 a 45 anos da plantação começa finalmente a colheita da cortiça amadia, com ciclos de 9 a 12 anos de colheitas sucessivas.
A mais antiga ânfora tapada com cortiça foi encontrada aquando de pesquisas levadas a cabo em Atenas (datada do século V antes de Cristo).

Mas foi o século XVII a idade de ouro da rolha de cortiça: atribuiu-se a Dom Pérignon a paternidade dessa novidade (a ideia de utilizar a cortiça para tapar garrafas foi inspirada por monges espanhóis cujos odres estavam tapados com cortiça, aquando de uma visita). 

Vemos que a cortiça se impõe como o par natural do vinho: a ligação parece tão íntima que só pode ser eterna!!!

Atualmente, as evoluções científicas e técnicas trouxeram uma otimização da matéria-prima, permitindo à cortiça responder a todas as exigências dos diferentes tipos de vinhos.